quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Museu Arqueológico de Barcelos


O Paço dos Condes de Barcelos foi construído, na segunda metade do século XV, pelo 9º Conde de Barcelos e 2º Duque de Bragança.
Faltam às ruínas de hoje algumas partes importantes deste castelo apalaçado, tais como a torre, que se prolongava sobre a entrada da ponte; parte da ala norte, com o passadiço que a unia à Colegiada, actual Igreja Matriz; e das quatro chaminés, com canudos altos, resta apenas uma.
Tendo sido alvo de vários projectos de restauro, desde o início do século XX, estes nunca se concretizaram e apenas se procedeu à consolidação das estruturas.
Propriedade da Câmara Municipal, desde fins do século XIX, é Monumento Nacional por Decreto de 16 de Junho de 1910.
Instalado neste espaço, o Museu Arqueológico foi criado, oficialmente, em 1920.
Já antes desta data se utilizava a área das ruínas do Paço dos Condes para guardar peças líticas, que eram encontradas por todo o Concelho, de épocas muito distintas, fruto de achados ocasionais ou provenientes do desmantelamento de monumentos arquitectónicos.
O Museu Arqueológico acolhe elementos em granito que vão desde a Pré-História aos finais da Época Moderna, entre os quais se contam um menhir de Feitos/Palme, sarcófagos medievais, símbolos heráldicos, marcos da Casa de Bragança, elementos arquitectónicos românicos de igrejas ou mosteiros desmantelados. Destaca-se, ainda, o Cruzeiro do Senhor do Galo, ex-libris de Barcelos.
Cachorro (Românico)
Beausent: distintivo dos Templários (Idade Média)
Cruzeiro do Senhor do Galo (inícios do séc. XVIII)
Menhir (Época Megalítica)
Tampa de sepultura (Baixa Idade Média)
Estátua de Barcelos (1730-1733)
Marco da Casa de Bragança (sécs. XVII-XVIII)
Ruínas do Paço Condal
Arcaz tumular (1284)
Elementos de arco românico
Pedra de Armas (séc. XVIII)
Pedra de Armas de Barcelos (séc. XVII)
Tampa de sepultura (Baixa Idade Média)
Capitéis românicos (séc. XII)
Cachorro (Românico)
Tampa de sepultura (séc. XVI)
Tímpano (Românico)



2 comentários:

João Lemos disse...

A foto do "Cruzeiro do Senhor do Galo (inícios do séc. XVIII)" está invertida na horizontal.

João Lemos disse...

Este Paço foi mandado construir por Afonso de Portugal, depois Afonso I de Bragança (Veiros - Estremoz, 10 de agosto de 1377 - Chaves, 15 de dezembro de 1461) foi o 8º conde de Barcelos, 2º conde de Neiva e o 1º Duque de Bragança. Supõe-se que Dom Afonso tenha nascido em Veiros, no Alentejo, como filho natural do rei João I de Portugal e de Inês Pires.